10.1.07

Eu penso que todo penso é torto
Que toda porta se abre, do abracadabra à chave
Toda luz traz sombra e escuridão
Eu penso que possa passar os dias empinando a lua
Lustrando a tristeza do seu céu, do arranha-céu
Nuvem e solidão...

Eu penso que todo penso é torto
Que todo trinco trinca o espelho-porta
Que todo ser vem do barro
O rei, o Zé, o João e o Jarro
Se o pavil é curto custa pouco a combustão
Mão no gatilho, o brilho no olho
Luz, camera, a vida prega encenação...

João Simass

Mais uma música nova

8 comentários:

Rafisa disse...

Antes de terminar de ler , pensei que esse "eu penso que todo penso é torto" dá música! :P
beijo!

Tássia disse...

Essa eu já sabia.
Todo penso é torto mesmo.

bruxanegra disse...

ah tambem tá nessa mas personaliza mas o cantinho !
da uma olhada no meu!

hua disse...

abraço, Seu João!

Sol Noturno disse...

Joãozito... bom.

me lembrei de Geni... "de tudo que é nego torto.."

beijitos

sukita disse...

penso, logo desisto!
[nuoossa... que original de minha parte]

ahiuaai
eu quero ouvir essa musikita!!!

bjito

Anônimo disse...

atuliza esse blog preguiçoso!!!!

Anônimo disse...

Poeta, eu sou um cardo desprezado,
A urze que se pisa sob os pés.
Sou, como tu, um riso desgraçado !


Mas a minha tortura inda é maior:
Não ser poeta assim como tu és
Para gritar num verso a minha Dor ! ...