10.12.06

A beleza da flor tá além de suas pétalas
Muito aquém de quem plantou
A tristeza do cantor caminha com suas próprias pernas
Ta num samba triste pra Iôiô

Pode ser o meu
Pode ser o teu
As aspas do cantor
Pode ser de um rei
Pode ser de um Deus
As rimas de Roma a Rimbaud

A leveza da dor ta aquém de suas querelas
Um barco às ondas que zarpa ao zelador
A certeza do rezador ta num cruzar de pernas
Esperando o dè jávu do salvador

Pode ser o meu
Pode ser o teu
As aspas, pasquins e pastor
Pode ser de um rei
Pode ser de um deus as Pupilas do Senhor Reitor

Jsimass

2 comentários:

Fani disse...

Esse eu conheço há algumas semanas(sou péssima em datas,é isso mesmo?).Lembro inclusive do meu comentário sobre as rimas,aliás, qnts músicas tu pretende arrancar desse poema?
beijão

Menina Canora disse...

Well, well, well...Isso dá samba.

Adoro aspas e Rimbaud.