16.5.07

continuação

Eu, menino pequeno na cidade grande
Prédios, lajes, morros
Quase morro todo dia santo
E todo santo torto
em todo canto vela acesa
nem todo chão da pra pisar
um manda chuva que manda bala
bola de meia
me dá vontade de voltar

às vezes me sinto um na ilha
às vezes as vozes me gritam coisas vazias e solidão...

Jsimass

Um comentário:

uma letra! disse...

o leito do rio está vazio...
será que terá forças para correr de encontro ao mar?
mar este salgado feito o mar de Portugal
de tanto sal de lágrimas derramadas.